American Academy

American Academy - 11 out 2018

Programa de graduação internacional da PUCPR realiza processo seletivo no modelo norte-americano

Para ingressar no American Academy, estudantes não precisam realizar provas de vestibular ou ENEM e são avaliados por outros critérios

Nos Estados Unidos não existe vestibular. Diferentemente do Brasil, para ingressar em uma universidade norte-americana, os estudantes passam por um processo de seleção que avalia as notas de todas as disciplinas dos três anos de Ensino Médio, além de fatores como a realização de trabalhos voluntários, cartas de motivação e de recomendação por parte dos professores, entre outros critérios mais abrangentes que analisam o perfil do estudante de maneira global.

A PUCPR irá adotar esse mesmo modelo de processo seletivo em seu programa de graduação internacional pioneiro na América Latina, o American Academy, realizado em parceria com a Kent State University (Ohio – EUA). Além de ter a oportunidade de conquistar a dupla diplomação e ainda concluir os últimos anos de curso nos Estados Unidos, o estudante ingressa no programa a partir de uma análise geral de todo o esforço realizado ao longo de sua formação.

De acordo com o diretor do American Academy, Paulo Mussi, diversos critérios são avaliados. “Com relação especificamente ao histórico de notas do Ensino Médio, o mínimo exigido é um GPA (Grade Average Point ou Grau de Pontuação Média) igual a 2,5 em uma escala que vai de 0 a 4. Essa é uma fórmula utilizada pelas universidades norte-americanas que transforma as notas em uma pontuação, criada a partir da média ponderada das notas e da carga horária de cada disciplina cursada”, revela. “Em uma comparação simples, um GPA de 2,5 equivale aproximadamente a uma média geral de 7,3 a 7,5 no Brasil”, explica.

O GPA, no entanto, é um dos vários pré-requisitos para ingressar no novo programa da PUCPR. “O estudante também precisa enviar uma carta de motivação, explicando os motivos pelos quais escolheu o American Academy e como o programa se encaixa no seu perfil, além da comprovação de proficiência em língua inglesa por algum teste reconhecido, como TOEFL, IELTS ou PTE e, por fim, uma entrevista”, revela Mussi.

Formação global

Não é apenas o processo seletivo do American Academy que enxerga o aluno de maneira abrangente: a formação também. Baseada no modelo Liberal Arts Education, plenamente difundido nos EUA, a graduação do programa é realizada em dois momentos.

O primeiro, mais amplo, consiste em um conjunto de disciplinas de diversas áreas do conhecimento – artes, ciências naturais e físicas, comunicação , ética, filosofia, entre outras – que oferecem ao aluno uma visão de mundo mais ampla. “Essas disciplinas são cursadas na PUCPR, em Curitiba, com aulas ministradas em inglês por professores da própria Kent State University”, comenta o diretor do programa.

Recomendadas para você