Direitos Humanos

A definição dos Direitos Humanos como Área Estratégica expressa o compromisso social e a missão institucional da PUCPR. Ao priorizar o ensino, a pesquisa e a extensão em sintonia com os desafios e objetivos globais, na perspectiva de relações, cidades e organizações públicas e privadas mais humanas, a Universidade assume seu papel fundamental de agente transformador. 

Nesta área são desenvolvidas, especialmente, pesquisas interdisciplinares e inovações em direitos humanos, visando atuações colaborativas e democráticas que solucionem e enfrentem problemas e fenômenos complexos em sociedade. 

Compõem esta área priorizada, para uma formação humanizada, inovadora e de excelência, o Núcleo de Direitos Humanos, o Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos e Políticas Públicas, a Clínica de Direitos Humanos da Escola de Direitos, além de pesquisas específicas e ações interdisciplinares. 

A Área de Direitos Humanos fomenta pesquisas de impacto, utilizando-se de metodologias colaborativas e deliberativas, assim como laboratórios de inovação social e ações de defesa direitos. Objetiva-se, centralmente, a dignidade humana com superação das desigualdades e violações; a efetivação e a interdependência de direitos de liberdade e de igualdade, com protagonismo social e respeito às diversidades; o desenvolvimento humano e social igualitário, integrado a um desenvolvimento econômico ecologicamente sustentável e culturalmente diverso; relações e organizações dialógicas e proativas, por sociedades mais justas, participativas e humanas. 

Coordenadora da Área Estratégica Direitos Humanos: Profª Jucimeri Isolda Silveira 

Cezar Bueno de Lima

Professor do curso de Licenciatura em Ciências Sociais, do Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos e Políticas Públicas e professor convidado do Programa de Doutorado em Humanidades – Parceria entre a PUCPR e a Universidade Católica de Moçambique. Desenvolve estudos, pesquisas e parcerias de extensão nos seguintes temas: Juventude, Violência, práticas restaurativas e Direitos Humanos.

Highlights na carreira

Projeto Uniforça/Coordenação: Parceria entre a PUCPR, O Ministério Público do Paraná e a Fundação da Ação Social (FAS/CURITIBA). Desenvolvimento de atividades lúdico-educativas aos adolescentes em situação de Acolhimento Institucional.

Projeto

Violência e Práticas Restaurativas nas Escolas.

Projeto em desenvolvimento na modalidade da pesquisa-ação junto às Escolas Públicas do Ensino Médio no Município de Curitiba.

Propõe, por meio da participação, diálogo e deliberação coletiva, o envolvimento direto de estudantes, professores, direção e quadro administrativo da escola e comunidade local/pais e/ou responsáveis) na solução dos conflitos.

Contato

[email protected]

Jucimeri Isolda Silveira

Professora do curso de Serviço Social, do Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos e Políticas Públicas, e professora convidada do Programa de Doutorado em Humanidades da Universidade Católica de Moçambique, em cooperação com a PUCPR. Desenvolve estudos pesquisas e projetos de extensão nos seguintes temas: Desigualdades, Violências, Territórios, Proteção Social, Assistência Social, Direitos Humanos, Participação Social, Inovação Social, Gestão Pública.

Highlights na carreira

  • Consultora pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento junto ao Ministério de Desenvolvimento Social;
  • Pesquisadora e Consultora junto a colegiado de gestores estaduais e municipais de Assistência Social, e junto ao Consórcio do Nordeste;
  • Conselheira do Conselho Permanente de Direitos Humanos do Paraná;
  • Superintendente de Planejamento da Fundação de Ação Social de Curitiba e coordenadora do Programa Curitiba Mais Humana;
  • Coordena o projeto HUB de Inovação Social, com desenvolvimento de pesquisa e captação de projetos na área (Mapa Social, Conexão Jovem e Projeto Covid19).

Projeto

Mapa Social e HUB de Inovação Social:

O projeto Mapa Social é resultado de pesquisa e inovação na identificação do nível de desenvolvimento de territórios, demandas, rede de serviços, tendências e oportunidades de investimentos sociais. Após diagnóstico, promove-se o desenvolvimento social e territorial, com monitoramento de projetos e de indicadores de impacto, e do reconhecimento das principais demandas sociais e das oportunidades, visando a implantação de inovações em gestão pública e projetos sociais. Possibilita a criação de ecossistemas de desenvolvimento socioambiental territorial, em cumprimento ao pacto Internacional dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Contato

[email protected]

Maria Cecilia Barreto Amorim Pilla

Possui graduação em Direito – UNICURITIBA (1990), graduação em História pela Universidade Federal do Paraná (1993), mestrado em História pela Universidade Federal do Paraná (1999) e doutorado em História pela Universidade Federal do Paraná (2004). Atualmente é professor Adjunto III da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, onde também é Coordenadora do Programa de Pós-Graduação – Mestrado em Direitos Humanos e Políticas Públicas e professora das disciplinas de Teoria dos Direitos Humanos e História dos Direitos Humanos. É membro do projeto DIAITA – Patrimônio Alimentar da Lusofonia – na área de história e cultura da alimentação da Universidade de Coimbra desde 2014. É professora convidada da Universidade Católica de Moçambique para o Doutorado em Humanidades. É líder do Grupo de Pesquisas: História, Cultura e Política junto ao Cnpq desde 2009.

Highlights na carreira

  • Foi coordenadora do curso de Licenciatura em História na PUCPR entre os anos de 2008-2015.
  • Foi membro do Conselho Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná entre 2017-2019.
  • Professora visitante na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa no mês de maio de 2019.

Projeto

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE: HOSPITAIS, LARES, PRISÕES E ESCOLAS SOB O ENFOQUE DA HISTÓRIA, DA CULTURA E DOS DIREITOS HUMANOS NO BRASIL (SÉCULOS XIX E XX)
O projeto de pesquisa pretende abordar temas relacionados à Soberania Alimentar e mais especificamente a relação entre saúde e alimentação sob a luz da história e da cultura. Comida não é somente algo que ingerimos sem pensar ou tão somente nos nutrir munidos pela preocupação em matar a fome? Mas tem um significado muito mais amplo, alcançam os aspectos culturais e sociais construídos por meio de um processo histórico.

Contato

[email protected]

Rodrigo Alvarenga

Doutor em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Catarina, com estágio de pesquisa na Université Paris 1 (Panthéon-Sorbonne), na França; Coordenador do Grupo de pesquisa em Direitos humanos, saúde mental e políticas públicas. Conselheiro Municipal de política sobre drogas do Município de São José do Pinhais.
Palavras-chave: Alteridade; Drogas; Povos indígenas; Refugiados; Saúde Mental.

Highlights na carreira

  • Projeto Conexão Jovem – Parceria com a Prefeitura Municipal de Curitiba de prevenção às drogas e à violência com crianças e adolescentes. (Captação)
  • Projeto Migrantes e Refugiados – Responsável pelo projeto de português para migrantes e refugiados pelo Núcleo de Direitos Humanos.
  • Projeto Aldeia solidária – Ação de enfrentamento à pandemia do COVID-19. Rede de apoio psicológico e Fórum de direitos humanos e saúde mental.
  • Doutorado Sanduíche com bolsa PDSE na Université Panthéon-Sorbonne.
  • Conselheiro Municipal de política sobre drogas do Município de São José do Pinhais.

Projeto

Projeto Conexão Jovem visa contribuir para a qualificação e formulação de políticas públicas sobre drogas no município de Curitiba e Região Metropolitana, por meio da elaboração de novas metodologias de intervenção, monitoramento e avaliação com adolescentes e jovens, a partir de estratégias de Educação em Direitos Humanos.

Contato

[email protected]