Áreas Estratégicas

Na busca de excelência acadêmica e no atendimento das demandas da sociedade, a PUCPR definiu áreas prioritárias, norteadoras e balizadoras de políticas institucionais para incentivar o ensino, a pesquisa e a extensão. Para tanto, foi aplicada uma metodologia segundo a qual critérios e diretrizes institucionais foram estabelecidos:

1

MAPEAMENTO DO AMBIENTE EXTERNO INTERNACIONAL, NACIONAL E REGIONAL: Prospecção de diversos documentos, como o Livro Azul (4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação), Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Organização das Nações Unidas (ONU), Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Setores Portadores de Futuro identificados pela Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), entre outros específicos das áreas de conhecimento;

Estudo sobre o aporte de recursos para pesquisa por órgãos de fomento estaduais, federais e internacionais;

Benchmarking de instituições de ensino e pesquisa nacionais e internacionais.

2

MAPEAMENTO DO AMBIENTE INTERNO: A partir da análise dos grupos, linhas e projetos de pesquisa, oferta de cursos de graduação e pós-graduação lato e stricto sensu, e da qualidade e quantidade dos indicadores de pesquisa e massa crítica/competências dentro da PUCPR.

3

MATCHING ENTRE OS CENÁRIOS EXTERNO E INTERNO: Para a identificação de áreas consolidadas, emergentes e potenciais, com base em indicadores locais, nacionais e internacionais. Assim, e considerando critérios de alinhamento com a missão institucional, sintonia social, sustentabilidade, transdisciplinaridade, potencial de inovação e internacionalização, foram definidas as seis áreas estratégicas da PUCPR Biotecnologia, Cidades, Direitos Humanos, Energia, Saúde e Tecnologia da Informação e Comunicação.

A biotecnologia engloba as tecnologias baseadas no uso de organismos vivos ou partes deles (tecidos, células, moléculas biológicas) para a produção de bens e serviços. Seus avanços resultam do domínio de técnicas como a engenharia genética, terapia celular e bioprocessos diversos. A biotecnologia moderna tem permitido o desenvolvimento de produtos avançados e novas tecnologias que estão ajudando no combate a doenças, na sustentabilidade ambiental, na alimentação da população mundial, no uso de energias limpas e disponibilizando processos industriais mais seguros, sustentáveis e eficientes.

Trata-se de uma área prioritária e estratégica, tendo a participação relativa da biotecnologia na economia global crescido exponencialmente, em função da sua contribuição para aumento da qualidade de vida e do potencial de geração de riqueza. Na PUCPR, a biotecnologia tem como ênfase o uso da biodiversidade regional, promovendo estudos e desenvolvimento de produtos para a saúde animal e humana, novos alimentos e novos bens e processos industriais. Por esse motivo é uma das áreas estratégicas da universidade.

Coordenador da Área Estratégica Biotecnologia: Prof. Dr. Humberto Maciel França Madeira

A gestão do ambiente urbano demanda cada vez mais soluções inovadoras na busca de alternativas para resolução dos problemas imediatos, para que as cidades se tornem espaços mais humanos, inteligentes e abertos ao pleno exercício da cidadania. Em meio ao dinâmico processo de urbanização que se desenrola globalmente, o Brasil constitui um laboratório internacional de experiências urbanas e tem atraído a atenção de diversos pesquisadores e gestores urbanos.

Consciente de seu papel de agente de mudança, a PUCPR assumiu o tema Cidades como uma de suas áreas estratégicas de pesquisa, ensino e extensão, com a finalidade de abordar a diversidade de fenômenos transformadores do espaço urbano, de relações socioambientais e condicionantes, que formam uma rede nacional e global. Situam-se aí pesquisas relacionadas a questões ambientais, tecnológicas, projetuais, de planejamento e gestão de espaços urbanos, regionais e políticas públicas. A estratégia de priorizar a temática Cidades no projeto de excelência da PUCPR contém, aspectos de ineditismo, de abrangência conceitual, de gestão e de inserção de tecnologias avançadas. Desta forma, a universidade contribui para responder pró-ativamente aos princípios considerados social e ambientalmente adequados na atualidade.

Coordenador da Área Estratégica Cidades: Prof. Dr. Carlos Hardt

Garantir a dignidade, igualdade e os direitos da pessoa humana é um desafio a ser vencido cotidianamente pela comunidade global. Consciente sobre sua corresponsabilidade neste processo, a PUCPR elencou os Direitos Humanos como uma de suas áreas estratégicas, com foco na promoção da pesquisa interdisciplinar em políticas públicas e na resolução de conflitos.

O intuito é incentivar a produção de conhecimento sobre políticas públicas, promover a composição de redes e sistemas de proteção, articular iniciativas de defesa de direitos, formar polos de capacitação continuada, desenvolver tecnologias sociais e fortalecer a participação de estudantes e docentes em ações relacionadas a esta temática. Para atender tais demandas estabeleceu-se o Núcleo de Direitos Humanos (NDH), um espaço permanente de interlocução entre acadêmicos, docentes e demais atores sociais, com atuação no ensino, pesquisa e extensão universitária em Direitos Humanos e Políticas Públicas. Entre suas finalidades destaca-se a educação social em direitos, oportunizando vivências acadêmicas e práticas educativas que permitam a atuação comprometida com a expansão e garantia de direitos.

O NDH articula uma ampla rede em direitos humanos que agrega grupos de pesquisa, a realização do Fórum Paranaense de Direitos Humanos e a participação em conferências e mobilizações sociais. Além disso, houve a estruturação do Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos e Políticas Públicas e do Observatório de Direitos Humanos. Toda esta movimentação, aliada a outras ações interdisciplinares, consolidam o tema Direitos Humanos com uma das áreas estratégicas da PUCPR.

Coordenador da Área Estratégica Direitos Humanos: Prof. Dra. Jucimeri Isolda Silveira

A Tecnologia da Informação e Comunicações (TIC) é um conjunto de recursos tecnológicos e computacionais para obter, transformar, transportar e gerar informações que são tornadas acessíveis por meio do sistema de comunicações. A tecnologia da informação aplica os recursos de programação do software para prover funcionalidades ao hardware, que integrado ao sistema de comunicações (por exemplo, Internet e telefonia) oferecerá serviços à sociedade. Pessoas, indústria, governo e empresas produzem e consomem informações, usando TIC, para melhorar os processos decisórios, a eficiência e a qualidade de vida, produtos, regulamentações e processos. TIC pode ser aplicada às mais diversas áreas e temas, incluindo: cidades, engenharias, indústrias, negócios, transportes, meio ambiente, energia, saúde, educação, segurança, economia, habitação, infraestrutura, governo, jurídica, agrária, entre outros. Na PUCPR a área de TIC foi considerada estratégica, com o objetivo de desenvolver tecnologias inovadoras nas áreas citadas, principalmente na Escola Politécnica e na Agência PUC, que tem interesse especial na área de TIC aplicada à educação.

Na área de computação, TIC propicia interdisciplinaridade e interesse em temas de pesquisa, desenvolvimento e inovação como Big Data e Analítica, Internet das Coisas, Dispositivos Vestíveis, Processamento de Imagem e Vídeo em Tempo Real, Computação em Nuvem, Redes Sociais, Redes Sem Fio e de Alta Velocidade, Teorias de Jogos, Inteligência Artificial, Segurança e Privacidade, Cidades Inteligentes, e Novas Interfaces de Interação com Humanos.

 Coordenador da Área Estratégica de TIC: Prof. Dr. Altair Olivo Santin

Em um planeta de recursos finitos, um dos grandes desafios do século XXI é a transição para um futuro energeticamente sustentável, uma vez que a energia, juntamente com alimentos, água e ambiente, é um dos principais fatores limitantes para a humanidade. Assim, em busca de prover soluções para a sociedade, a PUCPR elencou a temática da Energia como uma de suas áreas estratégicas.

Estruturada para possuir forte caráter transdisciplinar, diferentes cursos de graduação, pós-graduação e atividades de extensão estão permeados pelo tema e desenvolvem trabalhos ligados à eficiência energética, smart grid, conversão de energia, biocombustíveis, petróleo, direito da energia e arquitetura sustentável, entre outros de grande relevância para a sociedade. Na PUCPR a combinação de pesquisa, ensino e extensão busca novas soluções energéticas que necessitam ocorrer prioritariamente nas próximas décadas.

Coordenador da Área Estratégica Energia: Prof. Dr. Nathan Mendes

Saúde, ciência e tecnologia são requisitos para o desenvolvimento econômico e social do Brasil. Atender às políticas em saúde que visam melhorar as condições sanitárias da população e às metas em saúde definidas por agências nacionais e internacionais representa um imenso desafio para os países em desenvolvimento.

A área da saúde na PUCPR foi considerada estratégica pela clara percepção de um intenso potencial interno de produção de conhecimento, inovação e formação de recursos humanos, combinado a uma intensa demanda da sociedade por soluções inovadoras. A PUCPR apresenta boa massa crítica de pesquisadores e excelente infraestrutura laboratorial nas áreas multidisciplinares da saúde, com características interdisciplinares, que permitem a interação entre os grupos de pesquisa das diversas Escolas.

A presença de um sólido ambiente assistencial representado pela área de saúde do Grupo Marista representa um ponto facilitador, oportunizando amplo acesso dos pesquisadores à população local e à diversidade de desafios no eixo de transição entre saúde e doença, entre a atenção primária e a alta complexidade, entre os sistemas de cobertura na saúde pública e suplementar. Conta-se, assim, com ampla estrutura de suporte às atividades de pesquisa de alto impacto científico em áreas estratégicas e/ou na fronteira do conhecimento que visam à busca de solução de grandes problemas nacionais e o estabelecimento de novas redes de cooperação científica interdisciplinar, transversais e de caráter nacional e internacional.

Coordenador da Área Estratégica Saúde: Prof. Dr. Roberto Flavio Silva Pecoits Filho