Destaque

Destaque - 11 nov 2019

PUCPR cobre eleições do Conselho Tutelar em parceria com Plural

Pleito foi realizado em seis regionais de Curitiba e contou com mais de 15 mil eleitores

Uma equipe de seis estudantes do 2° e 4° período de Jornalismo da PUCPR participou, em parceria com jornalistas do jornal Plural, da cobertura das eleições no Conselho Tutelar de Curitiba, que aconteceram no último domingo (10). O pleito foi parcialmente refeito, uma vez que a eleição inicial, realizada no dia 6 de outubro, foi anulada pelo Ministério Público em algumas localidades. Ao todo, seis regionais da capital paranaense escolheram seus novos representantes: Cajuru, Boqueirão, Santa Felicidade, Bairro Novo, Pinheirinho e Tatuquara.

regional-tatuquara-durante-votacoes-para-conselho-ttutelar
Cobertura realizada por estudantes permitiu a experiência da rotina profissional

Participaram da ação Aline Taveira, Andrey Ribeiro e Marina Prata (4º período), e Isadora Deip e Mariana Scavassin (2º período). Eles foram supervisionados pelo professor Renan Colombo e pela jornalista Rosiane Freitas, do Plural, que articularam a parceria, vista como mais uma das oportunidades de desenvolvimento profissional oferecidas pela Universidade e por parceiros ao estudantes do curso.

Os acadêmicos colaboraram com registros fotográficos, entrevistas e flagrantes de denúncias de irregularidades comunicadas ao Ministério Público, que acompanhava de perto a votação. Foram registrados casos como transporte irregular de eleitores e boca de urna, com entrega de santinhos.

eleitores-durante-votacao-para-conselhos-tutelares
Futuros jornalistas registraram movimentação em zonas de votação

Apesar de ter sido pouco divulgada pela Prefeitura de Curitiba e da chuva, que atrapalhou a locomoção, o pleito foi movimentado. De acordo com o Plural, 15.520 eleitores compareceram aos locais de votação. Esse número é inferior aos 16 mil que participaram na primeira votação nestas regionais, mas ainda mostra uma participação expressiva para um dia chuvoso.

O resultado final das eleições ainda corre risco de ser alterado pelo Ministério Público, que continua analisando os casos e podem apresentar novos pedidos de impugnação.

Confira as matérias feitas em colaboração com estudantes