TANAHORA

TANAHORA - 21 set 2018

Grupo de Teatro TANAHORA, da PUCPR, apresenta seu novo espetáculo O Inspetor Geral

O Grupo de Teatro TANAHORA, da PUCPR, apresenta seu novo espetáculo: O Inspetor Geral, comédia clássica do grande escritor Nikolai Gógol, que a escreveu em 1836, embora o assunto trazido à cena conserve-se atualíssimo e sempre provoque muitas gargalhadas no público. A tradução da obra é de Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri, com adaptação e direção de Chico Nogueira.

Temporada: de 22 de setembro a 28 de outubro de 2018, sempre aos sábados e domingos, às 19h.

Local: Tribuna da PUCPR (museu ao lado do Portal)– Rua Imaculada Conceição, 1155.

A nacionalidade de Gógol é motivo de polêmica, pois sua cidade natal fazia parte do Império Russo na época, mas atualmente pertence à Ucrânia. Como consequência, tanto a Rússia quanto a Ucrânia reivindicam a sua nacionalidade. Apesar de muitos de seus trabalhos terem sido influenciados pela tradição ucraniana, Gogol escreveu em russo e sua obra é considerada herança do mesmo país que nos deu Tchekhov, Dostoiévski, Gorki, Tolstói, Pushkin, Lérmontov e Turgueniev. Os escritos de Gógol são calcados no realismo, mas um realismo muito próprio, algo que se aproxima daquilo que, anos mais tarde, viria a ser chamado de surrealismo.

Sinopse: Com a notícia da iminente chegada de um inspetor do governo federal a uma cidadezinha da Rússia pré-revolução, em “missão secreta”, todos os altos mandatários locais entram em polvorosa, principalmente pelo fato de terem suas consciências pesadas e, pior, receberam a informação de que o tal funcionário viaja incógnito!  Dois fofoqueiros veem um jovem desconhecido nas dependências do hotelzinho local e, precipitadamente, correm a informar aos demais que, com toda a certeza, é aquele o temido inspetor!!!

Ivan Alexandrovich Khlestakov, o forasteiro, assustado a princípio (é acusado pelo dono do hotel e tem também um passado nebuloso), vê-se repentinamente cercado por aduladores e acaba por assumir alegremente a identidade do inspetor, sendo até convidado a ficar na casa do governador local.

É um desfile tragicômico de seres aparvalhados diante do pretenso funcionário federal, alguém que poderá acabar de vez com os desmandos, subornos, propinas e vantagens de todos ali…

Como alguém já disse: “o extraordinário efeito cômico de O Inspetor Geral está na desproporção: os habitantes da cidade veem o visitante através das lentes deformadoras de sua má consciência e do medo da justiça, cegos para o que está realmente diante deles.”

Com esse novo espetáculo, o GRUPO DE TEATRO TANAHORA, da PUCPR, completa seus 38 anos de atividades ininterruptas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Recomendadas para você