Câmpus

Câmpus - 07 dez 2018

PUCPR lança oficialmente selo comemorativo dos 60 anos da Universidade

Evento foi realizado nesta quinta (06) no FTD Digital Arena

Crédito: Edjane Madza.

Emoção, histórias e gratidão. Essas são as três palavras que resumiram a tarde desta quinta (06), quando a Pontifícia Universidade Católica do Paraná lançou oficialmente o selo comemorativo dos 60 anos da Universidade – a ser celebrado no dia 14 de março de 2019. A cerimônia, realizada no FTD Digital Arena, reuniu personalidades que fizeram parte da história da PUCPR, além de autoridades e colaboradores do Grupo Marista, dos Correios, empresa que realizará a divulgação do selo, representantes do governo e instituições parceiras.

No evento, Dom José Antônio Peruzzo, arcebispo-metropolitano de Curitiba e Grão Chanceler da PUCPR, foi convidado pelos Correios para fazer a 1ª obliteração (carimbar para que não possa ser utilizado outra vez) com o selo personalizado dos 60 anos da Universidade e contou que é “grato por fazer parte desta história”. O reitor da PUCPR Waldemiro Gremski fez a 2ª obliteração, dedicando a “comemoração única para a história para todos os fundadores da Universidade”, e o Ir. Rogério Renato Mateucci, vice-provincial da Província Marista Centro Sul e pró-reitor de Missão, Identidade e Extensão da Universidade, fez a 3ª obliteração.

Após as obliterações, houve um diálogo entre o professor Waldemiro Gremski, reitor da PUCPR, Ir. Clemente Ivo Juliatto, reitor Emérito da PUCPR, Manoel Coelho, arquiteto responsável pelos projetos de construção da Universidade e criador do selo, e a mediadora, jornalista e coordenadora do curso Jornalismo da Instituição, Suyanne Tolentino de Souza.

O carimbo

O carimbo de 60 anos da Universidade, que teve como destaque a parceria com os Correios, será utilizado em todas as correspondências simples postadas no Brasil e Exterior na agência da rua Marechal Deodoro, 298 – Centro, em Curitiba (PR).

Voltando às origens

Manoel Coelho, destaque do evento, discursou sobre quando foi escolhido para fazer a logomarca da PUCPR. “Desde o início, há 44 anos quando cheguei aqui, já haviam obras do renomado arquiteto carioca Sérgio Bernardes, e andando por aqui encontrei uma placa com um retângulo, um livro, uma cruz e duas araucárias. Na época, após me formar em 1968 na primeira turma de arquitetura da UFPR, vi aquela marca e pensei ‘acho que essa Universidade quer ser algo muito maior’”, explica Coelho, aplaudido após se emocionar ao iniciar sua fala. Além disso, contou que em 1985 teve que mudar a logomarca, após a Instituição receber o título de Pontifícia. “Acrescentamos então as marcas da Santa Sé”, lembra. O arquiteto recebeu, ao fim do evento, uma placa de reconhecimento e homenagem por seus trabalhos.

Ir. Clemente Ivo Juliatto, reitor Emérito da PUCPR, conta que chegou à Instituição em 1975. “Eu tenho que dizer para vocês que o portal não existia, ele existe porque Manoel Coelho o fez. Soube naquele tempo que esse Câmpus aqui do Prado Velho era uma miniatura do hipódromo Longchamp de Paris. Chegamos aqui, e procuramos o portão e não encontramos, já que só havia arame farpado”, destaca. “E hoje, o portal é o símbolo da Universidade que está com 60 anos”.

O reitor Emérito conta que a Instituição foi fundamental em sua jornada. “A PUCPR é um pouco da minha vida. É uma grande satisfação ter trabalhado aqui e ter feito o melhor possível. Procuramos fazer o melhor possível. E acho que fizemos isso, de modo que agora eu estou contente, muito contente em ter trabalhado aqui”, exalta. Juliatto ainda relata que os irmãos Maristas sempre procuraram ter aqui uma Universidade que não só formasse professores, mas que fosse uma Universidade de verdade. “Hoje, ao entrar no Câmpus da PUCPR, a gente diz ‘seja bem-vindo à melhor universidade do Paraná’. Que maravilha!”, reflete o Ir. Clemente.

Crédito: Edjane Madza.

Para o atual reitor da Universidade, Waldemiro Gremski, a Instituição está apontando para um futuro brilhante. “Quando nós assumimos a reitoria, a ideia era colocar tudo aquilo que a PUCPR tem em termos de ensino, pesquisa e extensão em uma qualidade máxima. A Universidade não podia ter só uma boa pesquisa e uma Graduação mais ou menos e um lato sensu mais ou menos. Este foi talvez o ponto fundamental que moveu a administração”, explica Gremski.

Com relação as mudanças que a Instituição promoveu nos últimos anos, o reitor lembra que em 2014 comprou quatro livros do Klaus Schwab sobre indústria 4.0 e deu para todos os pró-reitores, e disse “isso aqui tem que ser nossa bíblia, a partir de hoje”. “E é isso que estamos implantando hoje para colocar a Universidade no seu devido tempo. Nós estamos vivendo um tempo de revolução, em que toda aquela vida em que tudo era estável, previsível e calmo acabou. Hoje tudo é instável, o dia de amanhã é completamente diferente do dia de hoje. A luta foi colocar a Universidade neste processo, que é uma revolução 4.0. e a Graduação foi um grande foco, porque nós estávamos correndo o risco de formar pessoas preparadas para um tempo que não existe mais. Então tínhamos que formar pessoas autônomas, críticas, com senso crítico etc, para poderem tomar decisões frente a desafios que hoje não sabemos quais serão”, contextualiza o professor e reitor da PUCPR.

Recomendadas para você