Notícias

Notícias - 04 jul 2018

Acadêmicos da PUCPR organizam Festa Junina para crianças de instituição parceira do Projeto Comunitário

A Associação Padre João Ceconello, com o apoio da PUCPR, possibilitou a vinda de 23 crianças à Universidade

No último dia 30, os 22 acadêmicos que participaram do Mutirão Brincando e Aprendendo na PUCPR organizaram uma Festa Junina no Ginásio da PUCPR para as crianças da Associação Padre João Ceconello. A atividade finalizou a ação social que foi dividida em três dias, totalizando 12h.

Após o planejamento da ação, que iniciou em 7 de abril, os acadêmicos de diversos cursos da PUCPR tiveram o primeiro contato com as crianças da instituição em uma visita até o local, no dia 16 de junho, com uma tarde de brincadeiras. O último dia de atividade foi a vinda das crianças até a PUCPR para uma festa junina preparada pelos estudantes.

“Hoje o que eu sinto é uma sensação agridoce. Porque como é o segundo e último dia de atividade e de contato com as crianças, foi muito bom, mas também é difícil dizer tchau, de finalizar. Eu fiquei muito satisfeito no sentido da expectativa, do que foi realizado. Tanto da gente com as crianças, quanto com a relação com acadêmicos de outros cursos. É a sensação de queria que tivesse mais, queria que não fosse o último encontro”, conta Guilherme Coutinho Da Rocha, estudante do 5º período de Jornalismo.

De acordo com Dinacir Leal, Assistente Social da Associação Padre João Ceconello, é gratificante ver a interação das crianças com os acadêmicos. “A vinda das crianças até a PUCPR é uma forma de ampliar os horizontes deles. Eles vêm de uma história de vida de muita restrição, violência, e aqui abre-se um novo espaço, novos sonhos e perspectivas. Muitos quando voltam falam que querem estudar na PUCPR, então nós aproveitamos e fazemos uma abordagem de como eles fazem para estudar aqui, qual o processo de educação para poder chegar aqui um dia”, destaca.

A atividade Mutirão Brincando e Aprendendo na PUCPR acontece em todos os semestres e em parceria com a Associação Padre João Ceconello há dois anos.

Guilherme ainda comenta como enxerga o Projeto Comunitário: “é muito válido. A disciplina, por ser obrigatória, acaba “favorecendo”, dando oportunidade da gente, que não teve oportunidade ou não participou ainda de nenhum trabalho parecido. Dá oportunidade de ver o que você pode fazer como ser humano”, finaliza.

Recomendadas para você