Citogenética

Células-tronco cultivadas requerem um rigoroso controle de qualidade, segurança e rastreabilidade para sua aplicabilidade, Um dos principais problemas em linhagens derivadas desse tipo celular é o aparecimento de instabilidades cromossômicas que poderiam explicar, pelo menos em parte, o potencial tumorigênico dessas células. A análise citogenética é crucial para a avaliação do potencial uso terapêutico dessas linhagens, porque analisa os cromossomos em número e estrutura.

O CTC/PUCPR realiza exames de cariótipo por bandeamento G (considerado padrão-ouro para este tipo de avaliação) em células-tronco cultivadas como, por exemplo, as pluripotentes induzidas e as mesenquimais de diversas origens, como medula óssea, tecido adiposo, cordão umbilical, geleia de Wharton e polpa de dente, além de outros tipos celulares.

Controle Microbiológico das Células: Bactérias, Fungos, Mycoplasma e Endotoxina

As células que serão infundidas nos pacientes da pesquisa clínica precisam estar livres de qualquer tipo de contaminação microbiológica, seja ela bacteriana, fúngica, ou por endotoxinas. A contaminação das amostras pode ocorrer pela manipulação do material biológico, ou pelo uso de reagentes e insumos que possam estar contaminados. O CTC realiza todos os controles microbiológicos necessários das amostras e reagentes durante todo o processamento, cultivo das células até seu preparo para a infusão.

Estes controles são realizados por métodos automatizados, os quais permitem detectar a presença de bactérias, fungos, Mycoplasma e endotoxina de maneira muito mais sensível e precisa do que os métodos manuais. Como as células serão infundidas nos pacientes, o controle microbiológico das amostras é fundamental, pois uma vez que a amostra esteja contaminada, esta contaminação poderá desenvolver efeitos adversos nos pacientes que a receberem. É conduta do CTC descartar qualquer material que venha a estar contaminado não sendo assim, infundido nos pacientes.

Citometria de Fluxo

A citometria de fluxo é uma técnica que permite avaliar simultaneamente várias características de células ou partículas biológicas suspensas em meio líquido, por meio de um sistema de fluxo contínuo à medida que em que passam por um feixe de luz. As células são incubadas com anticorpos de membrana ou intracelulares conjugados à fluorocromos. Com o uso de diferentes fluorocromos, é possível identificar marcadores celulares de acordo com a intensidade da fluorescência. Proteínas intracelulares e solúveis em amostras de sobrenadante de cultura, soro e plasma também podem ser quantificadas de forma simultânea utilizando beads de tamanho e fluorescência conhecidos. As amostras são adquiridas no Citômetro de Fluxo e analisadas por um software.

O Núcleo de Tecnologia Celular da PUCPR oferece exames de viabilidade, apoptose e proliferação celular, quantificação e caracterização de células e quantificação de citocinas pelo sistema CBA kit ou Flex Set. Outros testes podem ser realizados mediante discussão prévia com os responsáveis pela Plataforma de Citometria de fluxo.

Diferenciação de células-tronco em linhagens adipogênicas, condrogênicas e osteogênicas

A diferenciação celular das células-tronco mesenquimais (CTM) depende do equilíbrio entre o ciclo celular e o comissionamento dessas células com uma determinada linhagem. A diferenciação das CTM pode ser alcançada por meio de diferentes técnicas, que podem ser utilizadas em separado ou conjuntamente, envolvendo múltiplas vias de sinalização. Acredita-se que os mecanismos que controlam a diferenciação das CTM sejam influenciados por um conjunto diverso de fatores de crescimento, receptores, moléculas de sinalização intracelular e fatores de transcrição.

O Núcleo de Tecnologia Celular da PUCPR oferece o serviço de diferenciação adipogênica, condrogênica e osteogênica de diferentes fontes de células-tronco mesenquimais. A diferenciação em outros tipos celulares pode ser realizada mediante discussão prévia com os responsáveis.