Projetos em Andamento

TITULARIDADE, VIDA E SAÚDE: O SER HUMANO E O AMBIENTE SOCIOECONÔMICO EM DESENVOLVIMENTO

O projeto desenvolve análise crítica das noções tradicionais de titularidade sobre o corpo humano, o direito à vida e a proteção à saúde, sob a perspectiva da proteção do ser humano em sua dignidade. Em tal medida, realiza reflexões sobre o ambiente socioeconômico em constante desenvolvimento, sob a perspectiva das consequências que já se evidenciam na saúde humana e em várias categorias jurídicas tradicionais. Busca demonstrar igualmente, os parâmetros jurídicos que norteiam as inovações biomédicas e biotecnológicas, tanto no que tange às pesquisas quanto no que diz respeito às diversas medidas terapêuticas que envolvam os seres humanos, direta ou indiretamente.

Linha de Pesquisa: Fundamentos da Bioética

Coordenação: Porfª. Jussara Maria Leal Meirelles

Palavras-chave: ser humano, direito, bioética, titularidade, saúde, economia.

BIOÉTICA E EDUCAÇÃO

O diálogo teórico entre Bioética e a Educação, se efetiva na pesquisa e na análise interdisciplinar dos processos formativos, das metodologias de ensino/aprendizagem, das políticas e da cultura educacional. A contribuição da Educação nesta Linha de Pesquisa é proporcionar a reflexão sobre os processos educativos (formais e informais) nas diversas áreas do conhecimento que implicam na formação ética e bioética dos sujeitos. A instituição escolar é um espaço de formação cidadã e ética e suas práticas educacionais revelam as formas de resistência/incorporação do conhecimento científico, as relações de poder e as políticas públicas. Os objetivos são: Analisar como os avanços científicos nas diversas áreas têm impactado o campo da educação e da organização/reorganização dos saberes; Analisar como as políticas de educação voltadas à cidadania, diversidade cultural, multiculturalismo, inclusão social e escolar, humanização, ética e outras têm sido formuladas e executadas nos espaços educacionais, Analisar como os processos formais e informais de ensino e aprendizagem na área da saúde consideram os elementos culturais, o contexto social e as práticas sociais dos sujeitos envolvidos, Analisar a formação para a humanização e a ética na formação universitária na área da saúde e investigar a formação em Bioética em diferentes instituições de ensino.

Linha de Pesquisa: Bioética, Ciência e Sociedade

Coordenação: Profª. Drª. Valquiria Elita Renk

Palavras-chave: educação, bioética, interdisciplinaridade, políticas educacionais.

FAMÍLIA E PLANEJAMENTO DA PARENTALIDADE

O presente projeto é um desdobramento do projeto Elaboração e Validação de Instrumento para Avaliar o “Planejamento da Parentalidade”, aprovado com bolsa produtividade pela Fundação Araucária, no sentido de que este estudo vai aplicar o instrumento Planejamento de Parentalidade no Contexto da Bioética validado neste projeto anterior. Objetivo Geral: Mapear a presença ou ausência de projeto de Parentalidade em pessoas que já tiveram filhos e a sua relação com alguns fatores, como: visão de sexualidade, modelos de família, questões sociais e religião. Metodologia: A pesquisa de campo deste estudo se dará pela aplicação do instrumento validado pelo Grupo de Pesquisa em contextos diferentes. Resultado: ter um mapeamento do planejamento da Parentalidade nas localidades estudadas como ferramenta para pensar em novas políticas e ações nesta área.

Linha de Pesquisa: Bioética, Ciência e Sociedade

Coordenação: Profº. Mário Antônio Sanches

Palavras-chave: bioética, família, planejamento familiar, Parentalidade.

BIOÉTICA AMBIENTAL e BEM ESTAR ANIMAL

O avanço tecnológico, econômico e cultural do ser humano promoveu o seu distanciamento da natureza. Embora essa estratégia de sobrevivência tenha propiciado a uma espécie animal possibilidades infinitamente mais aprimoradas, o resultado não tem sido benéfico em todos os segmentos, resultando em dilemas morais. Assim, a retomada de valores éticos que norteiam a conduta do ser humano, na busca de restabelecer um convívio harmonioso com a natureza e ampliar os horizontes do discurso ético para além da esfera humana é fundamental para que todas as espécies em presentes e futuras gerações tenham o direito de disfrutar de um meio ambiente, a fim de proteger a vida e toda biosfera. Ao se pesquisar a ética e a bioética ambiental, procura-se despertar em cada cidadão o esforço em superar o antropocentrismo, conduzindo a compreensão do certo e errado. Deve-se considerar que as condutas ambientais praticadas até então, as práticas culturalmente enraizadas, o excesso de informação e as tentativas de sensibilização não tem sido o suficiente, sendo necessário reeducar, papel importantíssimo atribuído à educação ambiental. A grande mudança apontada por Hans Jonas na atualidade é que o homem, com o novo poder da técnica moderna, a qual deixou de ser compreendida apenas como um instrumento e passou a ser considerada um movimento e um poder autônomo, tornou-se capaz de modificar a essência de todo o reino da vida. Desta forma, a Bioética ambiental ressurge no cenário científico na busca de um novo olhar sobre a relação do homem diante da vulnerabilidade da natureza. Para alcançar esses resultados pretende-se realizar estudos quanto a percepção ambiental de diferentes parcelas da sociedade e a sua percepção como coautores de mudanças urgentes e necessárias, na busca da fundamentação ética que permeia essa relação. A inclusão da vida extra-humana ao mundo da ética, mais do que propor uma “naturalização” da ética ou mesmo o fim do especismo, tem o desafio de superar o forte dualismo presente na cultura ocidental, seja em relação do homem com a natureza, do homem com Deus ou do próprio homem com ele mesmo. A busca dessa unidade e de uma reconstrução harmônica exigirá do homem um novo convívio, pois como parte e fruto da natureza, a sua relação deve ser dar no sentido de viver-com a biosfera e não em querer submetê-la a um viver-sob a dominação e o constrangimento humanos com o auxílio do poder tecnocientífico. Também pretende-se levantar a reflexão e buscar soluções consensuais e justas por meio da aplicação do método Bioética para questões emergentes como fatores desencadeadores de problemas vinculados à ecologia urbana, pragas urbanas, poluição, parques urbanos, crise hídrica bem como, subsidiar e propor metodologias de ação e avaliação que visem estimular mudanças de conduta e que encaminhem estudantes e diferentes profissionais a se mobilizarem em prol da retomada dos valores ambientais. Palavras-chave: Bioética ambiental, educação ambiental, sustentabilidade.

Linha de Pesquisa: Bioética, Ciência e Sociedade

Coordenação: Profª. Drª. Marta Luciane Fischer

BIOÉTICA CLÍNICA E INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA

As novas possibilidades de intervenção terapêutica – cirúrgicas, químicas, de imagens e outras – crescendo em ritmo acelerado nas últimas décadas, exigem dos profissionais de saúde um contínuo processo de avaliação ética, social e política de tais intervenções. Este projeto de pesquisa, portanto, com o foco na bioética clínica, versa sobre: a) os elementos que precisam fazer parte da deliberação para a tomada de decisão nos contextos de intervenção terapêutica; b) metodologias de análise de conflitos éticos que surgem frente às possibilidades de intervenção terapêutica; c) incorporação de elementos sociais, culturais e políticos na análise de conflitos envolvendo a intervenção terapêutica; d) propostas de adequação das estruturas de assistência em saúde para promoção da deliberação ética entre as partes envolvidas no processo terapêutico.

Palavras-chave: Bioética clínica. Intervenção terapêutica. Conflitos éticos. Deliberação.

Linha de Pesquisa: BIOÉTICA, HUMANIZAÇÃO E CUIDADOS PALIATIVOS

Coordenação: JOSE EDUARDO DE SIQUEIRA

BIOÉTICA E CUIDADOS PALIATIVOS

Com a intensidade de recursos biotecnológicos que possibilitam, por exemplo, aumento da longevidade da população, bem como o prolongamento do processo de morrer, há necessidade de uma nova postura na assistência em saúde. No caso de pacientes e suas famílias que enfrentam problemas relacionados a doenças que ameaçam à vida, deve-se dar ênfase à qualidade da vida que ainda pode ser vivida, entendendo a morte como um evento natural e compreendendo que o sofrimento e a dor não estão apenas no plano biológico, mas também no plano psicossocial e espiritual – esta é a filosofia dos cuidados paliativos. Dada a complexidade teórica e prática dos cuidados paliativos, ainda há muito a ser explorado e debatido. Assim, o foco deste projeto está nas questões envolvidas no cuidado e acompanhamento daqueles que se defrontam com doenças ameaçadoras à vida, no processo de morrer e nos conflitos éticos que derivam do contexto de cuidados paliativos.

Palavras-chave: Bioética clínica. Cuidados paliativos. Qualidade de vida

Linha de Pesquisa: BIOÉTICA, HUMANIZAÇÃO E CUIDADOS PALIATIVOS

Coordenação: MARY RUTE GOMES ESPERANDIO

BIOÉTICA GLOBAL, DIVERSIDADE E DIREITOS HUMANOS.

Considerando a relação interdisciplinar entre humanidades e ciências da vida como um dos alicerces da bioética, este projeto pretende contribuir com este campo de estudo com vistas à melhor compreensão de conflitos éticos identificados no hodierno processo de planetarização das relações humanas nas diferentes esferas, sociais, econômicas, políticas, religiosas, culturais e de saúde. Para tanto, desde uma perspectiva crítica e à luz da Declaração Universal sobre Bioética e Direitos Humanos estuda-se contextos, práticas e situações que expõem as pessoas a maior vulnerabilidade.

Palavras-chave: bioética; saúde; direitos humanos; políticas públicas; diversidades

Linha de Pesquisa: Bioética, Ciência e Sociedade

Coordenação: THIAGO ROCHA DA CUNHA

 

ÉTICA, CIÊNCIA E BIOTECNOLOGIA.

Área de Concentração: BIOÉTICA

Linha de Pesquisa: BIOÉTICA, CIÊNCIA E SOCIEDADE

Natureza do Projeto: PESQUISA

Situação do Projeto: EM ANDAMENTO

Data de Início: 01/03/2017

Data da Situação: 01/03/2017

Descrição: O presente projeto discute as bases da ética e da ciência, frente a velocidade, a extensão e a abundância de possibilidades científicas e tecnológicas principalmente no campo das biotecnologias. Essas novas possibilidades exigem um diálogo aberto para além das fronteiras locais e das ciências particulares, de modo a perceber com clareza o verdadeiro significado da ciência em sociedade. Embora o auxílio da ciência seja cotidiano em nossa vida, e os avanços da técnica necessários para a nossa sobrevivência, é preciso questionar como o conhecimento produzido pode auxiliar no bem-estar da humanidade, sem exclusões injustificáveis e nem desequilíbrios ecológicos. As expectativas em torno dos avanços das biotecnologias são muitas, principalmente no que se refere a melhoria da qualidade de vida, no alívio da dor, na superação das limitações humanas através do aprimoramento do genético humano. Essas possibilidades têm fortes implicações sociais, éticas, antropológicas e ambientais, que impactam na reprodução humana, no planejamento da parentalidade, nos conceitos de liberdade e autonomia, entre outros, o que faz aumentar a responsabilidade da ação.

Palavra-chave: Ética – Ciência – Bioética – Biotecnologias

Linha de Pesquisa: Bioética, Ciência e Sociedade

Coordenação: ANOR SGANZERLA

HUMANIZAÇÃO E CUIDADO INTEGRAL EM SAÚDE

Área de Concentração: BIOÉTICA

Linha de Pesquisa: BIOÉTICA, HUMANIZAÇÃO E CUIDADOS PALIATIVOS

Natureza do Projeto: PESQUISA

Situação do Projeto: EM ANDAMENTO

Data de Início: 03/03/2013

Data da Situação: 03/03/2013

Descrição: No contexto atual de assistência em saúde faz-se necessário o desenvolvimento de competência humana e relacional nas práticas de assistência em saúde – o que chamamos de humanização do cuidado. O cuidado em saúde deve considerar a construção de trocas solidárias e comprometidas com a produção de saúde, e também de laços de cidadania, olhando cada sujeito em sua integralidade e como sujeito de um processo coletivo cuja dignidade deve ser sempre preservada. O respeito e a preservação de sua dignidade perpassam pelo seu direito e garantia de acesso ao uso democrático dos benefícios decorrentes do desenvolvimento científico e tecnológico disponíveis, de acordo com as suas necessidades, considerando as dimensões biológica, psicossocial e espiritual. Neste sentido, o presente projeto busca discutir sobre a humanização nas várias faces do processo saúde-doença-cuidado e estudar as variáveis intersubjetivas que permeiam atitudes, ações e tomadas de decisões dos profissionais de saúde.

Palavras-chave: Humanização da Assistência em Saúde. Integralidade em Saúde. Assistência espiritual.

Linha de Pesquisa: BIOÉTICA, HUMANIZAÇÃO E CUIDADOS PALIATIVOS

Coordenação: CARLA CORRADI PERINI

Exigências para Obtenção de Títulos

A duração do curso de mestrado em Bioética é de 24 meses, nos quais o estudante deve cumprir um número mínimo de 40 créditos, sendo assim distribuídos: disciplinas e seminários totalizando 27 créditos; elaboração e aprovação da dissertação que somam 10 créditos e atividades complementares que somam 3 créditos.

Impacto na Sociedade

A Bioética, tem como princípio o exercício da ética prática, seja no desenvolvimento de pesquisas teóricas ou aplicadas. O PPGB se destaca nacionalmente e internacionalmente por desenvolver pesquisas na área ambiental, social, educacional e na saúde. Como impactos diretos na sociedade destaca-se: a Bioética Institucional com pesquisa, formação e atuação em Comitês de Pesquisa com seres humanos, animais e comissão de ética hospitalar; a Bioética na mídia com veiculação da perspectiva bioética em questões de interesse social em linguagem adaptada para diferentes públicos; o desenvolvimento de pesquisa de inserção da perspectiva Bioética na educação básica; e a atuação no segmento dos Direitos Humanos promovendo o empoderiamento, protagonismo e autonomia do cidadão.

Plano de Desenvolvimento Institucional

A PUCPR, desde 2011, possui um projeto denominado Excelência no <i>Stricto Sensu </i>, com o objetivo de internacionalizar os programas para atingirem os conceitos 6 e 7 e para promover a transdisciplinaridade e a inovação nas diferentes áreas do conhecimento, especialmente em suas áreas estratégicas. Alguns dos diferenciais dessa proposta são o PIBIC Master (permite que estudantes talentosos cursem simultaneamente a graduação e a pós-graduação stricto sensu e desenvolvam parte de sua pesquisa em uma instituição estrangeira muito bem qualificada), a sintonia com a sociedade e o foco em inovação.

A instituição deve estar ainda em constante preocupação com mudanças de necessidades da sociedade, com alinhamento/realinhamento à critérios da CAPES e orientada a desenvolver-se internacionalmente, tendo a internacionalização como seu grande norteador na busca de qualidade em ensino e pesquisa.

Cada programa de Pós-Graduação deve atender aos critérios fixados pelo comitê da área a qual pertence, portanto, o planejamento estratégico de cada programa e a fixação de critérios de funcionamento necessitam considerar essa realidade.

Os critérios da área precisam ser objeto de discussão anual no âmbito do programa, para a adoção de ações corretivas necessárias e adequadas no decurso do quadriênio. Cada programa tem o compromisso de estruturar e readequar anualmente seu planejamento estratégico em busca da excelência. Além disso, os programas são estimulados a repensar suas linhas de pesquisa de forma a se adaptar às rápidas mudanças que ocorrem nos cenários internacional e nacional.

Esse dinamismo e flexibilidade da Pós-Graduação deve sempre satisfazer o critério de qualidade tanto na formação de mestres e doutores como no desenvolvimento da pesquisa e inovação, visando essencialmente o aprimoramento da sociedade. Desta forma, é solicitado anualmente uma revisão do planejamento estratégico de cada programa contendo, pelo menos, os tópicos:

i. Missão e Visão do programa;

ii. Parecer anual resumido de avaliador externo; a avaliação anual por membro externo é uma prática institucional realizada desde 2006, que permite avaliar anualmente o desempenho de cada programa segundo critérios da área;

iii. Pontos fortes, fracos, oportunidades e riscos (Elaboração da matriz SWOT evidenciando fatores externos e internos), tendo em vista os objetivos para os quadriênios atual e seguinte;

iv. Metas (objetivos quantificáveis) estabelecidas para a consolidação e desenvolvimento dos pontos fortes e tratamento dos pontos fracos;

v. Ações (processos) necessárias para atingir as metas, responsáveis e instrumentos de acompanhamento; neste tópico o coordenador e colegiado devem se envolver para  pensar em redimensionamento de corpo docente e de corpo discente, critérios para credenciamento/recredenciamento, infraestrutura, processo de seleção, estratégias para aumento de captação de recursos, de citações e de inovação dentre outros itens;

vi. Texto preliminar de autoavaliação do programa, cobrindo os últimos quatro anos e com descrição contendo pelo menos: etapas do processo de autoavaliação; análise dos resultados e alcance de metas; ações necessárias para sua consolidação e internacionalização;

O documento do PDI (PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL) apresenta os planejamentos estratégicos de todos os programas alinhados ao planejamento institucional, contendo Missão, Visão, Matriz SWOT, CANVAS e <i>road map</i>, provendo informação sobre necessidades e pretensões dos programas para os quadriênios 2017-2020 e 2021-2024 de avaliação da CAPES.

Repercussão

Em decorrência da atuação da Bioética em questões atuais e urgentes, somado a natureza multidisciplinar e integrativa, o PPGB frequentemente configura nas mídias televisivas, de radiodifusão e digitais. Concomitantemente o corpo docente do Programa é convidado para palestras, debates, bancas, assim como para parcerias e consultorias de questões ligadas à Bioética Institucional e atividades educacionais, composição de sociedades acadêmicas e organização de eventos científicos. No âmbito internacional o PPGB firma inúmeras parcerias com órgãos como a UNESCO, Rede Ibero-americana de Bioética e a Duke University.

Ações Sociais da Bioética – O caminho do diálogo 2016 e O caminho do diálogo 2018