PUCPR

Sub Menu contents

Entidades brasileiras e britânicas se reúnem na PUCPR para discutir estado atual de combate à resistência antimicrobiana

Evento acontece nos dias 15 e 16 de fevereiro na Universidade e reúne 40 especialistas de diversos setores

Alerta às necessidades de conscientização sobre a resistência antimicrobiana (RAM), a PUCPR, em cooperação com a Missão Diplomática Britânica e sua Rede de Ciência e Inovação, promoverá, em 15 e 16 de fevereiro, uma mesa-redonda com 40 especialistas e pesquisadores do setor público, da indústria e da academia do Reino Unido e do Brasil. No encontro, os profissionais irão analisar o tema com base no conceito de “Saúde Única” (One Health), que inclui três óticas diferentes – saúde humana, dos animais e meio ambiente, além de discutir estratégias para combater a resistência nos dois países.

Entre os objetivos do evento também está reforçar a cooperação bilateral entre as nações para o controle e prevenção da RAM, marco regulatório para registro de antimicrobianos, discutir a distribuição e uso responsável de antimicrobianos e possíveis esforços conjuntos de pesquisa na área. Além da troca de experiências entre pesquisadores, formuladores de políticas públicas e a indústria privada, a iniciativa ajudará agências de fomento a elaborar linhas de financiamento à pesquisa. 

Para Javier Burchard, coordenador do evento na Universidade, a cooperação entre os países é o primeiro passo entre instituições acadêmicas, públicas e do setor de agrobusiness do Brasil e do Reino Unido. “A resistência antimicrobiana é um problema da saúde pública mundial. A propagação de bactérias resistentes aumentou muito nos últimos anos e o número de mortes por infecções hospitalares também”, explica Burchard.

No fim de 2016, países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) se comprometeram a tomar medidas para enfrentar a ameaça de organismos resistentes a medicamentos e combater a proliferação de bactérias, vírus e parasitas. Atualmente, há uma estimativa que 700 mil pessoas morrem anualmente devido ao fenômeno. Margaret Chan, diretora-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), chegou a relatar que “a resistência antimicrobiana representa uma ameaça fundamental à saúde humana, ao desenvolvimento e à segurança".



Publicado em: 13/02/2017Página Anterior



Notícias Relacionadas:

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR

Câmpus Curitiba | Câmpus Londrina | Câmpus Maringá | Câmpus São José dos Pinhais | Câmpus Toledo | Tecnólogos - Unidade Centro - Curitiba